[LISTA] Melhores jogos Indie – games que são obras de arte

Você já sabe o que é jogo indie, certo? Agora precisa de uma lista dos melhores jogos indie, aqueles que você definitivamente precisa conhecer para ser um expert no gênero. Por isso hoje trazemos nada mais, nada menos do que 10 títulos essenciais para você.

E todos eles são ó… jogos indies bons e de ponta para você se maravilhar enquanto joga.

Mas obras de arte, Igor? Não tá sendo um pouco pretensioso? Uma das grandes características do gênero indie é a liberdade que o programador e sua equipe possuem para produzir os jogos.

Sem a pressão das grandes publishers, são estúdios livres para criarem suas ideias do jeito que são. Isso rende histórias inovadoras, com mecânicas interessantes e muitas vezes bastante chamativas artisticamente falando.

Não acredita? Pois fique sabendo que nessa lista de melhores jogos indie incluímos games com artes feitas à mão, cenário de aquarela e um estilo próprio. Tudo isso ainda com uma história pra lá de diferente e bem amarrada.

Ou vai me dizer que o jogo abaixo, por exemplo, não te parece uma obra prima?

Lindo, não? E esse é só um dos melhores jogos indie que trazemos hoje. Se liga na nossa lista:

  1. Stardew Valley
  2. Cuphead
  3. Celeste
  4. Braid
  5. Papers, Please
  6. Into the Breach
  7. Undertale
  8. Katana Zero
  9. Minecraft
  10. Gris

Curiosidade bateu? Então bora logo falar de cada um desses melhores jogos indie 😉

Os 10 melhores jogos indie

1. Stardew Valley

Fonte/Reprodução: Stardew Valley

Estúdio/Developer: ConcernedApe

Plataformas Disponíveis: PC / PS4 / XBox One / Switch / PS Vita / iOS / Android

Como assim um joguinho de colheita feliz tá na lista de melhores indies? Se você pensa dessa forma, está na hora de dar uma segunda olhada sobre a história de Stardew Valley.

Esse game não é apenas um joguinho qualquer de fazenda. É um RPG feito para você criar a vida que você quiser no interior, com diversas opções para você fazer a sua história do seu jeito.

Basicamente, seu personagem herdou a fazenda do avô em Stardew Valley. Você chega na cidade apenas com algumas ferramentas e poucas moedas, a partir daí deve começar com a sua nova vida.

São muitas opções para você seguir seu caminho, podendo ainda interagir com as pessoas cativantes da cidade próxima. Quem sabe até viver um romance e criar uma família no interior?

O jogo é seu, você faz o que quiser com ele! É descrito por muitas pessoas como cativante e relaxante. E tudo isso foi desenvolvido por Eric Barone.

Só por esse trailer já dá para perceber que a proposta é muito mais do que ser um simples jogo de fazendinha, né?

Leia Também: O que é Pokémon GO

2. Cuphead

Fonte/Reprodução: StudioMDHR

Estúdio/Developer: StudioMDHR

Plataformas Disponíveis: Switch / XBox One / PC

Se você conhece um pouco do cenário, provavelmente já tem noção que Cuphead é tido por muitos como um dos melhores games indie. O hype em cima desse nome foi insano, e vamos combinar que não foi atoa.

Criado pelos irmãos canadenses Chad e Jared Moldenhauer, o jogo conta a história dos irmãos Cuphead e Mugman que perderam uma aposta com o diabo.

Então, para salvar suas almas, precisam recolher todos os contratos de almas de outros devedores do demônio.

Com isso, partem em uma aventura pelas Ilhas Tinteiros atrás dos contratos. Com fases reconhecidas por serem extremamente difíceis, os dois irmãos devem enfrentar muitos chefes até chegar ao final da história.

Além desse enredo bem cativante e da dificuldade que desafia qualquer gamer, Cuphead conta com um fator artístico incrível. A temática ficou toda em cima do estilo de desenhos dos anos 30 e tudo foi ilustrado à mão.

A trilha sonora também é bastante marca e não deixa a desejar, dando o ritmo intenso do jogo.

Leia Também: Remessa Online é seguro? – Opção para as conversões financeiras da Twitch

3. Celeste

Fonte/Reprodução: Celeste

Estúdio/Developer: Matt Make Games

Plataformas Disponíveis: Switch / PS4 / XBox One / PC

Não tem como não mencionar Celeste quando se fala sobre jogos indies bons. Um game aparentemente simples de início, mas que a cada capítulo revela sua profundidade.

Nele, jogamos com a Madeline. Uma menina que resolve escalar a montanha Celeste em busca de um refúgio dos seus problemas. No decorrer, vemos a menina enfrentar seus demônios pessoais e tendo que passar por eles.

Sua jogabilidade é simples, apenas com movimentos de andar, pular e um dash no ar. E é com essa mecânica clássica que o game consegue desenvolver a história e criar grandes dificuldades em cada fase.

É um jogo desafiador e encantador ao mesmo tempo. Celeste ganhou diversos prêmios no TGA de 2018 e chegou a concorrer inclusive na categoria de melhor game do ano. E o mais incrível: o estúdio contou com brasileiros na produção. Legal, né?

Leia Também: Curso de Fortnite – Seja um PRO player

4. Braid

Fonte/Reprodução: Braid

Estúdio/Developer: Jonathan Blow

Plataformas Disponíveis: XBox 360 / PC / PS3

Esse clássico precisava estar presente na lista de melhores jogos indie. Braid foi lançado em 2008, criado por Jonathan Blow e serviu como um divisor de águas para a indústria independente de games.

Foram 3 anos de produção, feito como uma crítica de Jonathan ao desenvolvimento de jogos contemporâneos. 

Contando a história de Tim, um rapaz que busca salvar uma princesa no castelo. Vendo dessa forma, não parece ter nada de inovador, certo? Mas seu enredo repleto de puzzles forma um quebra-cabeça que rende diversas interpretações.

Você tem os simples movimentos de andar, pular e escalar. Além disso, conta com um poder especial que é o controle do tempo. Essa autonomia para manipular o tempo cria mecânicas inusitadas em cada fase.

Aclamado pela crítica e pelos fãs, esse game nunca foi esquecido devido ao seu tamanho e tudo o que representou na época. Todo bom gamer que está entrando pelo caminho independente deve jogar pelo menos uma vez.

Leia Também: Como aumentar a população no Cities Skylines: 5 dicas

5. Papers, Please

Fonte/Reprodução: Papers, Please

Estúdio/Developer: Lucas Pope

Plataformas Disponíveis: PC / IPad / Playstation Vita

Um dos melhores indies de estratégia com uma história nada convencional. Possui uma arte retrô de 8-bits e uma visão em primeira pessoa, esse jogo consegue trazer casos de tensão e perigo em uma fronteira de imigração.

Você é um inspetor de passaportes para imigração e deve dizer quem pode ou não entrar em Arstotzka. De primeiro momento pode parecer simples e entediante, mas eu te garanto que tem muita coisa acontecendo.

Sendo uma zona de conflito, existe uma multidão diariamente, com pessoas de ajuda humanitária e civis que precisam entrar pela fronteira. Mas, pelo mesmo motivo, existem também traficantes e terroristas querendo atravessar.

Por isso, você deve ficar atento aos papéis, investigar os dados de quem está à sua frente para ver se tem algo errado. Você pode até chamar a polícia em casos extremos.

E vale lembrar que o tempo que você leva para executar as ações influenciam em alguns aspectos, como por exemplo o seu salário.

Bem diferente, né? Foi ganhador de diversos prêmios, você pode conferir isso no print abaixo (tirado do próprio site dele):

Leia Também: Presentes para namorado gamer nenhum botar defeito!

6. Into the Breach

Fonte/Reprodução: Subset Games

Estúdio/Developer: Subset Games

Plataformas Disponíveis: Switch / PC 

Into the Breach é um jogo de estratégia em turno que tem o tema central proteger a humanidade.

Nele você luta contra monstros gigantes, chamados Vek, que ameaçam os civis. O combate se dá com pilotos de grandes Mechas para derrotá-los.

Para ganhar você precisa entender os mapas, conhecer o poder de combate dos seus adversários e criar Mechas cada vez melhores. Sim, você pode coletar armas novas e incrementar no seu robô.

Proteja as cidades, tenha a estratégia perfeita e construa uma Mecha poderosa. Desse jeito você será capaz de acabar de uma vez por todas com os inimigos.

Do mesmo estúdio de Faster Than Light, você sabe que pode esperar um dos melhores games indie.

Leia Também: O que é MOBA: significado, explicação, exemplos e mais

7. Undertale 

Fonte/Reprodução: Undertale

Estúdio/Desenvolvedor: Toby Fox

Plataformas Disponíveis: Switch / PC / PS4 / Playstation Vita

Undertale com certeza faz parte dos melhores jogos indie. Criado por uma única pessoa em todos os aspectos, inclusive na trilha sonora marcante. É um RPG inovador com história e personagens que te prendem.

A terra era dominada por duas raças: humanos e monstros. Os humanos saíram vitoriosos da disputa e selaram os monstros em uma montanha. Muitos anos depois, uma criança cai dentro dessa montanha e então precisa encontrar seu caminho de volta.

O que mais encanta em Undertale é que a história desenrola de acordo com as suas escolhas. Como assim, Igor? Eu te explico:

Você encontrará diferentes monstros pelo caminho e eles tentarão lutar contra o seu personagem. Cabe a você decidir se irá atacá-los ou tentar resolver de forma pacífica.

Cada escolha muda os diálogos em diante e o que virá a acontecer. Com finais diferentes para cada caminho que tomar.

E dessa forma Undertale se constrói: com muito humor, conversas bem escritas e conhecendo personagens estranhos. Requer muita determinação para jogar, mas vale a pena conhecer!

Leia Também: Como ser um streamer: passo a passo para o sucesso

8. Katana Zero

Fonte/Reprodução: Askiisoft

Estúdio/Desenvolvedor: Askiisoft

Plataformas Disponíveis: Switch / PC

Um jogo ninja, semi-noir com uma estética retrô iluminada por neon e músicas de disco. Parece um combo meio improvável? Sim, mas o fato desse mix ter funcionado tão bem é o que torna o jogo marcante.

Controlamos o ninja apenas conhecido como “O Dragão”, um agente que não tem suas memórias e que deve completar missões pelo qual é contratado.

Com o desenrolar da história, é claro que vamos descobrindo mais sobre ele e o que levou sua amnésia.

Se trata de um jogo de plataforma e muita ação, com fases complexas onde você deve lutar contra inimigos diversos e poderosos. 

Um dos fatores interessante é a forma que as batalhas ocorrem: O Dragão conta com um poder analítico, então na verdade tudo o que você faz na fase é ele imaginando na cabeça dele a melhor saída. 

Se você morrer, o cenário rebobina completamente e você refaz desde o início procurando a melhor saída para a situação. Isso deve deixar um pouquinho irritado, mas faz parte da brincadeira 😉

Com uma história que varia entre realidade e flashbacks, é com certeza um game brilhante que merece destaque.

Leia Também: Como investir em e-sports: 4 opções para faturar neste setor

9. Minecraft

Fonte/Reprodução: Minecraft

Estúdio/Developer: Mojang

Plataformas Disponíveis: PC / Android / iOS / XBox One / XBox 360 / Switch / PS4 / PS3 / Playstation Vita / Wii U / Nintendo 3DS

Nós já falamos sobre Minecraft e seu sucesso aqui, mas fazer um post sobre os melhores jogos indie e não incluir esse título seria um pecado. O game de blocos que já vale U$2,5 bilhões

Sim, esse é o tamanho de Minecraft. Um jogo indie que veio para mostrar que esses títulos possuem potencial para serem tão grandes quanto (e às vezes até maiores) games AAA.

O que encanta nesse jogo são todas as possibilidades que você tem nele. Se trata de um mundo aberto, onde você explora e constrói o seu próprio universo. Podendo fazer o que quiser usando cada bloquinho.

É para usar da sua criatividade e aproveitar para criar um espaço completamente seu. Transformar o virtual em uma realidade só sua… bem atraente, né?

O fato de ser disponibilizado para diversas plataformas e de permitir que seus jogadores usem a imagem do jogo para criar conteúdos ajudou a disseminar o nome.

Você pode ter suas dúvidas se é realmente legal, mas não dá para negar que Minecraft é um nome extremamente importante para o mercado independente. Então sim, você precisa pelo menos dar uma chance para esse mundo.

Leia Também: O que é Fortnite? Aprenda tudo sobre este fenômeno dos games

10. Gris

Fonte/Reprodução: Nomada

Estúdio/Developer: Nomada

Plataformas Disponíveis: Switch / PC / Playstation / iOS

Essa é definitivamente uma obra de arte entregue em forma de jogo. Gris é um game surpreendentemente lindo e delicado que usa dos gráficos, pinturas e trilha sonora para trabalhar com metáforas.

Conta a história de Gris, uma menina que se vê sem chão e cai em um mundo sem cores. Você deve explorar esse mundo e ir juntando os puzzles para entender o que está acontecendo. 

Com o andar do jogo, as cores e brilho vão voltando, além de conhecer personagens que a ajudam na jornada.

Ela ganha habilidades especiais conforme conquista seus objetivos e isso faz com que seu vestido mude de cor. Todos os detalhes no game são pensados e colocados de forma para pincelar o tema abordado.

E qual tema é esse? Tristeza, luto e até mesmo depressão. É difícil falar sobre Gris porque se trata de um jogo bastante subjetivo e abstrato, a interpretação de cada um sobre o que se vê é pessoal e monta sua própria história.

Leia Também: [LISTA COMPLETA] Melhores times de LoL do Brasil

O que achou da nossa lista de melhores jogos indie? Já jogou algum desses? Se sim, qual o seu favorito? E se achar que faltou algum nome, deixa nos comentários para gente dar aquela conferida 🙂

Depois dá uma passada no nosso post sobre o que é discord e conheça essa solução eficiente para se comunicar no ambiente digital tanto para gamers quanto empresas.

Comente Abaixo