[Super Guia] 7 Dicas para criar jogos. Tudo o que é essencial!

Tem um projeto em mente e não sabe por onde começar? Nesse post trazemos as principais dicas para criar jogos. Tudo o que é essencial para você dar os primeiros passos no caminho de game developer.

Se você já se pegou fantasiando como seria fazer o seu próprio jogo, saiba que o melhor momento para tornar isso real é agora. O mercado de games atrairá 2,7 bilhões de usuários em 2020.

Segundo a Newzoo, a previsão é que a receita anual total seja de $159,3 bilhões. Esses dados mostram bem como a cena é promissora, certo?

Ok, entendi que é possível seguir carreira e ser um profissional na área, mas por onde começo? É isso que trazemos aqui hoje com as 7 dicas para criar jogos. 

Só que vamos esclarecer algo antes de ir para o conteúdo: nós reunimos as melhores e mais necessárias dicas para criar jogos. Só que a ideia é facilitar o seu processo, te ajudando a se organizar com o que precisa fazer

Se você não sabe nada de desenvolvimento de games, nunca teve contato e quer aprender de forma prática, sugerimos que veja o curso da Danki Code. Nele você terá aulas com um professor profissional da área.

Sendo bem sincero, só lendo esse post você não vai conseguir criar seu jogo de cara. Para além de tudo o que trazemos aqui, você também precisará de estudo, esforço e dedicação para seguir nessa. Mas se é o que você sempre quis, vale a pena! 🙂

Agora sem mais delongas, é hora de conferir nossas 7 dicas de como criar jogos.

Leia Também: Leia antes de comprar: Danki Code Games vale a pena?

7 Dicas para criar jogos

1- Referência

Bom, a primeira da lista de dicas para criar jogos é a tal da referência. Coloque esse mantra na cabeça: referência é TUDO em qualquer processo criativo. 

Ela pode servir desde pontapé inicial de grandes ideias à solução que você buscava para um problema específico. 

A internet é uma grande aliada na busca de referências facilitando o seu acesso à muitos jogos, inúmeras narrativas e um acervo visual gigante. Use e abuse dessa ferramenta.

A pesquisa referencial é inclusive um tanto divertida. Jogue, assista algo, leia um conteúdo, pesquise por peças. Pode parecer perda de tempo, mas consumir produções te ajuda a se reinventar e amplia sua visão.

Para você ter ideia da importância da referência podemos pegar o exemplo de League of Legends, Dota 2 e Warcraft 3. 

São três jogos completamente diferentes um do outro, mas Dota saiu como uma adaptação do mapa de Warcraft 3. Já LoL veio depois de Dota e teve muita inspiração e referência dele.

Mas lembre: referência não é cópia. Cuidado com o plágio ou imitações descaradas, isso não é interessante nem para você e nem para seu público.

Afinal, o legal de fazer um jogo é construir algo original e que seja seu, não é mesmo?

Leia Também: [Dicas] Como farmar no LoL. Seja igual aos High Elos.

2- Estudo

Atenção, isso pode ser uma novidade para alguns, mas se você procura por dicas de como criar jogos precisa ter noção disso. Então vamos lá: você vai ter que estudar muito.

Muitas pessoas acham que jogos por ser entretenimento é algo fácil, que surge rápido e não demanda tanto. Essa é uma ideia extremamente equivocada, tem que queimar muito fosfato para seguir nessa carreira.

Seja você alguém que não sabe nada sobre desenvolvimento ou uma pessoa mais experiente. Cada projeto é único e estudar é algo que estará com você durante todos os processos que tiver.

Na internet você encontra bastante conteúdo legal que pode te agregar conhecimentos. O site da CodeCademy por exemplo conta com muitos cursos gratuitos de programação.

Outra sugestão é procurar por dúvidas específicas no YouTube. Lá você encontra alguns canais da área que te dão um bom suporte. Inclusive vale dar uma olhada no GameBrodis Indie que tem muitos vídeos sobre desenvolvimento de games.

Agora, caso você esteja caindo de paraquedas nesse setor, indicamos que confira o Curso Desenvolvimento de Games Completo da Danki Code. Nele você tem acesso a diversos módulos que ensinam a teoria e prática da criação de jogos.

Com suporte individual, personalizado e entrega de certificado válido. Ele com certeza é um ótimo primeiro passo para quem quer se tornar profissional na área.

Se você estiver disposto a estudar e for possível para você, é um investimento que vale a pena refletir sobre. Para mais informações, é só clicar aqui.

Leia Também: TOP 10 Melhores jogos de guerra para PC: clássicos e atuais

3- Planejamento

A terceira dica para criar jogos nos ajuda muito a transformar ideias em algo real. Um bom planejamento de ações serve como um guia para você não se esquecer:

  • Do que precisa fazer
  • Como vai fazer
  • Quando rola de fazer

Quando temos que criar algo grande é muito possível que a gente se perca. São várias etapas que devemos resolver para conseguir concluir a proposta que pensamos.

Então um caminho para solucionar a situação é separar tudo em pequenos objetivos e tarefas que você deve cumprir. Estipular um prazo para cada setor que você pontuar e tentar seguir o mais focado que consegue.

Dessa maneira você vê seu jogo tomando forma aos poucos e fica mais tangível de perceber suas movimentações. Além de servir como um suporte para você não esquecer do essencial que é finalizar o que começou.

E para colocar tudo isso em prática, nós sugerimos usar o Trello, que é uma ferramenta gratuita para planejar e organizar projetos.

Nele você consegue colocar tudo que falamos acima em vários Cards e estipular datas de entrega. Além disso, você consegue ver visualmente como está o andamento do projeto.

Leia Também: O que é DotA: guia rápido para tirar TODAS as dúvidas

4- Detalhes

Agora chegamos em uma das dicas para criar jogos mais importantes. Tenha em mente que alguns detalhes fazem toda a diferença durante a criação e no produto final.

Deixaremos três pontos gerais e comuns a qualquer jogo aqui, mas o detalhamento de uma produção é infinito. As possibilidades são diversas e tudo depende do que você quer fazer, cada projeto conta com suas especificidades únicas. 

Engine

Pensar em qual Engine você irá desenvolver o game. Esse é um detalhe prático que influencia muito na produção. 

Pesquise e estude bem cada uma delas, veja qual parece ser melhor para o seu caso. Além disso, é bom ter uma certa afinidade com o software, se sentir confortável para produzir nele.

Abaixo os nomes das principais Engines para você conferir:

O curso da Danki Code Games tem uma série de aulas atualizadas para cada uma delas. Você também aprende a fazer sua própria Engine, o que é bem bacana. Vale a pena considerar a ideia se você quiser uma ajuda profissa para dominar bem esses programas.

Visual

Esse é essencial e não deve ser negligenciado. O visual é extremamente relevante em qualquer jogo, quem aí nunca deixou de dar play em algo porque não foi agradável esteticamente?

Mais do que apenas fazer as escolhas de estilo, no visual do seu game você deve pensar em tudo. Quando digo tudo, é tudo mesmo!

Como será a interface? O game está intuitivo para o player ou vai deixá-lo confuso? O menu está visível? Tem algo travando? Os movimentos estão fluidos?

São muitos pontos que devem ser analisado e a nossa sugestão é que você conte com a ajuda de algum game designer profissional. Tomar conta disso tudo sozinho é um baita serviço e você precisará estudar bastante o segmento.

Um bom exemplo de game com um visual que transforma completamente a atmosfera do jogo é o jogo Gris. Ele é 2D e artisticamente conta com um trabalho impecável. Todas as escolhas visuais estão alinhadas ao desenrolar da história.

Para você ter uma ideia do que eu tô falando é só assistir o vídeo abaixo, que é do trailer de Gris.

Áudio

Por fim, o que dá o tom e ritmo ao jogo. A trilha sonora é a cereja do bolo de qualquer bom game. Ela serve como estímulo ao jogador e quando é bem trabalhada, fica na cabeça.

Um bom exemplo de game onde a trilha sonora influencia completamente é The Last Of Us 2. Sua soundtrack intensa é o que dá o ritmo e marca o jogo. Se liga nela abaixo, vai te ajudar a ter uma noção do peso das músicas:

Então sim, pense com carinho na parte do áudio. Pode parecer algo bobo, mas faz toda a diferença.

Existem profissionais para você contatar caso não seja o seu forte. Uma outra sugestão é o curso da Danki Code Games, nele você ganha um bônus que te ensina a criar e manipular arquivos de áudio.

Leia Também: [LISTA] Melhores jogos indie – Games que são verdadeiras obras de arte

5- Comunidade

Essa é uma das dicas para criar jogos mais divertidas. Criar laços com a comunidade desenvolvedora de jogos é um método para te ajudar no caminho.

Conhecer mais pessoas que estão na cena independente é interessante para trocar figurinhas e aparecer como profissional. 

Você aprende muito com quem já é mais experiente ou ainda pode conhecer alguém que está no mesmo nível que você. É uma boa para manter a motivação e crescer junto.

Então esteja presente na comunidade. Siga perfis que falam sobre esse nicho nas redes sociais, consuma conteúdo em lugares como Twitch, faça parte de grupos no Facebook, participe de fóruns no Reddit. 

A comunidade Game Development do Reddit conta com 12,5k membros e existe desde 2009. Isso é bastante gente para conhecer e muitos tópicos para fuçar. Fique a vontade para explorar hehe

Essa é uma troca que acaba sendo bem positiva e que te ajuda a manter no corre. Ter um suporte e dar moral para quem está nessa como você, é bom para seguir firme.

Leia Também: O que é Discord? Veja solução que ajuda gamers e empresas

6- Teste

Teste, teste e teste. De verdade, se precisar a gente repete até mais vezes para frisar. Essa é uma dica para criar jogos NECESSÁRIA e que muita gente ignora. Teste bastante, sem medo de ser feliz.

Às vezes a gente sofre de uma certa miopia ao olhar pro nosso projeto. Não conseguimos enxergar alguns erros, bugs ou detalhes que precisam ser melhorados. Por isso é tão crucial a fase de testes, principalmente quando é outra pessoa jogando.

Mais pontos de vistas vão ajudar a entender melhor o funcionamento do que você fez. Isso pode evitar algum errinho ou retrabalho e ainda amplia sua percepção.

Só tem a agregar. Então é isso, vamos de testes e mais testes antes de publicar.

Leia Também: TOP 5 | Melhores mouses para FPS de 2020. E onde comprar!

7- Erros

Vamos fechar nossa lista de dicas para criar jogos falando deles, os tão temidos e assustadores. Erros acontecem, fazem parte e não tem como fugir.

Dar início a um projeto é algo que demanda muito esforço da gente. Muitas vezes nos tira da zona de conforto e dá um trabalhão, demandando aprender algo que não conhecemos. Tudo que é novo e gera uma movimentação dessas é passível de erros.

O negócio é saber como lidar com eles. Não transformar em algo limitante e que vai te fazer pular fora de primeira. 

Errar é um caminho bem curioso para o aprendizado. Quando aproveitamos dele podemos transformar em algo até melhor do que seria se acertasse de primeira. Quem sabe? 

Leia Também: [Lista] 9 Melhores sites de LoL – Usados pelos Desafiantes

Gostou das nossas dicas para criar jogos? Se tiver mais alguma deixa nos comentários, você pode ajudar mais pessoas 🙂

Não se esqueça de dar uma olhada no Curso Desenvolvimento de Games Completo da Danki Code. É sério, ele pode ser exatamente o que você precisa para conseguir criar seu jogo agora mesmo.

Agora se quiser mais conteúdo desse setor, sugerimos o post sobre como criar um jogo para celular. Os games mobiles são um sucesso, vale a pena saber mais dele.

Comente Abaixo
Total
32
Shares
Related Posts